domingo, 18 de março de 2012

Hoje


Amo meu cabelo enrolado
meu rosto desformado
os poucos amigos que tenho
amo o meu amor
Amo o tempo
o sorriso que se abre ao vento
o calor de um abraço e 
a seriedade da situação
Amo sem culpa alguma de amar
quero tudo perfeito
sem nada pra igualar
Amo a luz que ilumina o rosto no fim da tarde
e o escuro que liberta a alma
o motivo que me faz acordar
Amo a voz que quero escutar
e os motivos que me fazem lutar
por algo melhor, por um mundo melhor.
Amo a perda que me faz valorizar
e o ganho que me presenteia
As dificuldades que exigem superação
alguns movimentos sem razão
e a vida a se construir
O futuro a se precipitar
Amo poder chorar e rir
as vezes ao mesmo tempo.
Amo poder olhar e saber que tenho passado
viver este presente e 
poder construir aquele futuro feito de 
circunstancias
É fácil amar...

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

O tempo da laranjeira.

Deixa o tempo passar
A laranjeira vai florescer
E o sol vai continuar a brilhar
Deixa o tempo passar
A flor vai desabrochar
E o calor vai começar a esquentar
Deixa o tempo passar
O fruto vai crescer
O sol cozinhar
Deixa o tempo passar
Mas se a morte acontecer
O sol vai apagar

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Não sei por que...

A chuva veio e eu não sei por que
Eu pedi
Eu implorei
Não queria chorar sozinha
Assim me sinto acompanhada
Menos vazia
Mais alagada
A chuva veio e eu não sei por que
Conseguindo fazer mais barulho do que os meus pensamentos tempestuosos
A chuva veio
Me lavando a alma, o corpo
E me trazendo a calma
Me fazendo respirar melhor, me permitindo
Sentir....
Sentir o cheiro do asfalto molhado que
Retrata uma realidade de que 
A cidade as pessoas, as mentes e os corações, são de concreto
Concreto puro que busca no meu  mundo
Engessar o natural
Que tira do meu futuro
A dança do vento nas folhas das árvores do parque da cidade
A chuva veio pra me dizer...
Pra me fazer ter esperança
Pois quando eu pedir
Da maneira como eu pedi hoje
A chuva não vai deixar de me atender.